FARMACOVIGILÂNCIA NA INTERNET E NAS REDES SOCIAIS

Foi uma excelente oportunidade de crescimento e partilha conduzida por uma oradora de reconhecido background que nos permitiu ter uma visão mais global e abrangente deste admirável mundo novo do digital e o impacto e desafios adocados no âmbito da Farmacovigilância .

NOVARTIS

OBJETIVOS DA FORMAÇÃO

A importância das novas tecnologias e a crescente utilização da internet, constitui um grande desafio para os departamentos de farmacovigilância na Indústria Farmacêutica.
É cada vez mais frequente detetar suspeitas de reações adversas nos blogs, nas redes sociais…, e este fenómeno parece estar a aumentar.
A Internet e outros recursos on-line estão a ser cada vez mais utilizados pelos utentes e profissionais da saúde para debater assuntos relacionados com a saúde e os tratamentos médicos.
Esta tendência deve-se à maior utilização da internet pela população em geral e à especial necessidade dos utentes com doenças crónicas terem maior contato com outras pessoas com as mesmas patologias clínicas.
Consequentemente, as redes sociais estão a requerer cada vez mais atenção tanto pela indústria farmacêutica como pelos reguladores.
O Módulo VI das Boas Práticas de Farmacovigilância inclui a obrigatoriedade de gerir as possiveis reações adversas que são comunicadas nas redes sociais. Apesar da legislação não obrigar à monitorização de todas as redes sociais ou de toda a internet para procurar informações relativas aos seus produtos.
A Formiventos preparou esta formação especialmente para os profissionais da farmacovigilância, para melhorarem as técnicas de busca, seleção e extração de dados.

 

PROGRAMA

  • Visão global da monitorização do social media
  • Vantagens e vieses associados a monitorização do social media
  • Internet, redes sociais e uma nova perspetiva da relação beneficio/risco
  • Metodologias de busca e seleção dos dados
  • Interação com fóruns de discussão (ex: associações representativas de doentes)
  • Impacto nos procedimentos operacionais e sistemas de informação
  • Critérios de avaliação da robustez da informação
  • Critérios de decisão do impacto regulamentar da informação